sábado, 8 de outubro de 2016

(Comentando) Yuri!!! On ice - Ep 01



Olá, aqui quem vos escreve é Lyonel-kun, trazendo de volta a coluna de comentários de anime, apesar de não ter conseguido manter as postagens sobre JoJo e ter pensado em aposentar a coluna, não consegui me controlar em fazer um post sobre esse anime que me arrebatou de jeito em sua estreia. Então o Comentando funcionará como um post de primeiras impressões e como de costume estejam preparados para alguns spoilers, vamos aos comentários:


Estreando nesta quinta, dia 6 de outubro sob direção de Sayo Yamamoto o anime sobre patinação artística começou a contar a história de Yuuri Katsuki, um patinador japonês que havia acabado de perder o mundial ficando em último, Yuuri é obcecado pelo seu ídolo, o patinador russo Viktor Nikiforov  que é  campeão invicto e uma lenda viva da patinação, além disso ele tem que lidar com a intimidação de Yuri Plisetsky, um jovem e promissor patinador russo em ascensão que o vê como um empecilho já que compartilham de nomes com pronúncias iguais.



Desde março, quando as primeiras noticias sobre este anime começaram a sair que meu hype estava alto, afinal um anime sobre patinação artística e que não se passa em um clube de escola é algo que por si só já merece um olhar mais atento. O tema diferente do habitual e a abordagem de personagens mais maduros é algo vale a pena valorizar, apesar da baixa expectativa geral, afinal é um anime fora do habitual e com uma staff pouco expressiva no meio, não é de se estranhar que pouca gente esperasse grande coisa daí.

Entretanto Yuri!!! On Ice conseguiu extrapolar minhas expectativas já altas. Com um trabalho de direção magistral, uma montagem de cair o queixo e um roteiro muito bem escrito para amarrar tudo, o anime conseguiu entregar nesse primeiro episódio uma história madura e atual como poucas conseguem ser no universo da animação japonesa. 




A direção de Yamamoto neste primeiro episódio poderia muito bem servir como base teórica essencial para diretores iniciantes, chega a ser triste parar para pensar que muitas das coisas que ela fez durante este primeiro episódio podem até ser consideradas bobas de tão simples, mas que nem sequer estas simplicidades podem ser encontradas na grande maioria das obras do nicho. Soluções criativas para economizar verba como as adotadas pela diretora deveriam utopicamente ser o padrão, não que seja incomum utilizar chibis para diminuir o custo de certas passagens, mas poucos conseguem acertar o tom na hora de montar o anime como a diretora e co-criadora conseguiu neste primeiro episódio, é necessário muita inteligência criativa para encaixar de maneira natural cenas como essa.

Sim, a diretora utiliza chibis e cortes de animação mais baratas para cortar gastos e tempo de trabalho, mas ela o faz de maneira fluída e natural em insights do protagonista onde ele apresenta ao expectador diálogos expositivos a respeito de sua história e seus sentimentos subjetivos, são feitos de maneira a situar o expectador e contam com uma montagem bem feita que não incomoda em nada a transição. Estas e outras jogadas de direção tornaram o anime muito mais rico em forma, a exemplo de ângulos bem utilizados, brincadeiras com transições de cenas, coisas absurdamente simples mas que se bem utilizadas demonstram competência por parte da equipe técnica. 




Eu disse conter diálogos expositivos no anime, mas eles pouco tem de expositivos no sentido estrito, são dificilmente comparáveis a outros comuns no nicho, onde geralmente informações do mundo e da história principal são jogados na cara do expectador. Aqui a exposição não é sobre o mundo, pois não há mundo a ser explicado e conceituado, a história se passa no mundo real e digo isso pois é uma ambientação de "mundo real" como poucas na animação japonesa, afinal, não é preciso ser muito observador para reparar que animes tendem a apresentar um "mundinho próprio" que serve como escape da realidade para o público, dificilmente se encontra uma história como esta que realmente parece se passar no mundo real como o conhecemos, via de exemplo de ambientação bem feita vale citar o merchandising inteligente do tênis do protagonista, que apresentam uma marca facilmente reconhecível em uma determinada cena e ajudam na imersão de um senso de realidade maior. 



A exposição tampouco apresenta conceitos da história principal do anime, os acontecimentos do roteiro simplesmente acontecem de maneira casual e com fluidez. O roteiro usa de conceitos muito casuais para se construir, pode parecer bobo ficar impressionado com isso mas utilizar a viralização na internet como ferramenta de roteiro é algo que raramente é abordado, mesmo sendo algo tão comum na vida cotidiana, o anime com certeza merece elogios pelo bom uso do casual não só para ambientar mas também andar com a história.

A animação está bonita, as cenas de apresentações são tão bem feitas quanto se podia esperar que fossem e pelo excelente trabalho de direção vale mais do que a pena acompanhar este anime, é certo que se a qualidade se manter esse anime já está bem encaminhado para ser o melhor da temporada. 

Notas:

A grande mãe internet já fez seu trabalho inútil de extrair futilidades interessantes sobre o tema e já temos uma associação de personagens do anime com patinadores verdadeiros.

Yuuri Katsuki - Yuzuru Hanyu

 Viktor Nikiforov - Evgeni Plushenko

Yuri Plisetski - Mikhail Kolyada 


Otabek Altin - Denis Ten
 Guanhong Qi - Han Yang 


 Seung-gil Lee - Kim Jin-seo 

Kristoff Giacometti - Stephane Lambiel
Chulanont Phichit -  Michael Martinez
Kenjirou Minami - Shoma Uno
Fonte: Tumblr.

0 comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...