quinta-feira, 3 de março de 2016

Análise de Filmes #07 - Der Fuehrer's Face (1943)


Pôster de lançamento do curta Der Fuehrer's Face

Olá para vocês, pessoal do Fênix no Sekai. Aqui é o Diego Felipe e estou publicando minha sétima análise de filme para o blog.




A análise da vez será em cima de um polêmico curta-metragem da Walt Disney Pictures protagonizado pelo icônico Pato Donald: Der Fuehrer's Face, de 1943.

Apesar desse respectivo curta animado não ser tão desconhecido assim do público mais recente é bem interessante analisar o filme enquanto crítico ao nazifascismo.

FICHA TÉCNICA

- Diretor: Jack Kinney
- Produtor: Walt Disney
- Roteiro: Joe Grant e Dick Huemer
- Estúdio: Walt Disney Pictures
- Duração: 8 minutos
- Data de Lançamento: 1° de Janeiro de 1943.
- Páis: EUA

AVISO: 

Antes de prosseguir com a análise, que é repleta de spoilers, recomenda-se assistir por meio do link abaixo:

ANÁLISE

O curta-metragem se passa em uma cidade pequena na Alemanha chamada Nazilândia. E como o próprio nome sugere tudo na cidade remete a simbolismos nazistas, tais como a suástica e aimagem de Hitler. É possível notar que as casas, as árvores e até as nuvens remetem a suásticas (uma casa mesmo tem um rosto parecido com o de Hitler). E até o galo chega a cacarejar "Heil, Hitler!"

O desenho já se inicia com uma banda de militares (em que dois integrantes muito se parecem com Benito Mussolini, Duce da Itália, e Hirohito, imperador japonês). A banda comicamente canta a música "Der Fuehrer's Face", uma espécie de hino cuja letra elogia e exalta as qualidades do sistema nazista.


Nessa cidade mora o Pato Donald, que vive uma rotina nada agradável: tem que acordar cedo de manhã atingido por uma baioneta e ainda tem que jurar lealdade a Hitler, e Hirohito e Mussolini. Seu "café da manhã" pode ser resumido em um pão muito duro (precisa de uma serra para cortar), um café com um único torrão de açúcar e um spray de sabor de ovos com bacon.

Analisando só essas cenas iniciais é possível notar "leves" (leia-se sutis) críticas aos países do Eixo (Japão, Alemanha e Itália) pelo racionamento de alimentos à população. Vale lembrar que esse racionamento visava garantir a estabilidade e o preparo dos soldados defensores do nazifascismo, o que gerou como consequência um racionamento alimentar nesses países entre 1942 e 1945.

Quanto à banda nazista, embora ela provoque humor no público, é um escárnio em cima da manipulação de massas provocada pelos países do Eixo, responsável pelo sentimento de supremacia na população desses países, principalmente na Alemanha e na Itália, onde muito se propagou a (repugnante) teoria da supremacia ariana e a intolerância contra judeus, homossexuais, ciganos, dentre outros povos.

Explicando com mais clareza, a caracterização da banda ironiza e critica o sentimento de orgulho aos ideais propagados pelo nazifascismo e o sentimento de orgulho e preconceito a outros povos que foi minuciosa e eficientemente desenvolvido pelos governadores tiranos Adolf Hitler, Benito Mussolini e Hirohito.

Mas, voltando ao desenho, pouco após terminar seu "café da manhã" Donald é obrigado a ler o livro "Mein Kampf". Vale lembrar que Mein Kampf foi uma obra escrita por Adolf Hitler em 1925 quando ele estava preso na Alemanha e onde ele expunha seus ideais de supremacia racial, anti-semitismo e totalitarismo. A obra viria a se tornar a grande base para a fundação do partido nazista e seria futuramente classificada como a "Bíblia Nazista".

A banda leva um Donald relutante para trabalhar em uma obscura fábrica onde ele terá que trabalhar "48 horas por dia". Pode parecer um termo no mínimo incoerente, mas trata-se de uma referencial sutil porém direta à forma extremamente excessiva e desgastante que os combatentes e trabalhadores da Alemanha e dos outros países do Eixo eram obrigado a atravessar, sem direito a compensações posteriores. Donald é um fabricante de material de artilharia em uma esteira onde tem que organizar cada um dos itens em alta velocidade.

O que dá um pouco mais de humor ao trabalho do Donald, além de seu trabalho muito rápido em pouco tempo, é que eventualmente ele tem que se dedicar a proferir "Heil, Hitler!" (a saudação é repetida 87 vezes no desenho) quando uma imagem do Fuhrer aparece ao lado de uma das bombas, sem para isso parar com seu trabalho de organização.

"Heil, Hitler! Heil, Hitler!"
Como se já não bastasse trabalhar em excesso Donald ainda é forçado repugnante mente a concordar com os elogios e exaltações que seu superior (que não vem a aparecer fisicamente) faz ao regime nazista. E se as "48 horas por dia" já pareciam duras demais o superior anuncia que ele terá "HORAS EXTRAS".

E Donald, que já trabalhava em ritmo frenético demais, passa a ficar cada vez mais em colapso até que ele acaba enlouquecendo de vez e começa a ter visões de bombas e itens de artilharia com caretas e expressões monstruosas, além de objetos em formatos que remetem à suástica ou ao nazismo. Em meio a essas alucinações aparece uma imagem de Donald trajado como Adolf Hitler.

Eis que então Donald acaba se deparando em uma cama. Ele não entende a situação e quando vê uma sombra que lembra o Fuhrer Adolf Hitler ele está prestes a dizer "Heil, Hitler!" pela 88ª vez, mas...

Aí ele descobre que a sombra na verdade é de uma pequena réplica da Estátua da Liberdade em cima de seu criado-mudo. Ele está em sua verdadeira casa nos Estados Unidos. Tudo o que passou na Nazilândia foi "apenas" um pesadelo (não dá para chamar tudo aquilo de sonho, não é mesmo?). E então ele termina abraçando e beijando alegremente a réplica e diz "Eu sou muito feliz por viver nos Estados Unidos da América!". Ao final uma imagem desenhada de Hitler aparece e um tomate é atirado em seu rosto, que dá lugar ao letreiro vermelho "The End".

Apesar da frase patriótica a propaganda do desenho se dedica mais a criticar o nazismo do que em pedir apoio e colaboração à classe trabalhadora americana através do sentimento de orgulho patriótico. Entre muitos desenhos da Disney que abordaram a Segunda Guerra, seja escancaradamente ou atenuadamente, Der Fuehrer's Face é, ao lado do sombrio Education for Death, o pouco lembrado Stop That Tank! e o subliminar Chicken Little, um dos que mais se concentram a criticar o nazifascismo.

Outros curtas-metragens como The Spirit of' '43, The New Spirit (ambos protagonizados pelo Pato Donald) e Victory Vehicles (esse protagonizado pelo Pateta) e 7 Wise Dwarfs (protagonizado pelos Sete Anões do filme Branca de Neve e os Sete Anões) focam mais no apelo de solicitar contribuição financeira à classe trabalhadora estadunidense.

Um dado interessante é que embora Mickey Mouse, ao contrário do que muitos acreditam, até tenha aparecido em propagandas de apoio aos EUA na Segunda Guerra, seja em tirinhas ou em um curta-animado de apenas 3 minutos que mostra Mickey se alistando, o principal personagem utilizado pela Disney para representar o soldado americano foi o Pato Donald.

Eis que Donald vem a ser um personagem um pouco mais complexo que Mickey, pois enquanto Mickey na grande maioria das vezes é o herói simpático e bondoso o pato muitas vezes se manifesta com atitudes negativos ou ambíguas sem perder o carisma do público. Essa característica menos unidimensional acabou sendo peça-chave para que Donald fosse usado constantemente em desenhos da WWII.

O LEGADO DO CURTA

O curta "Der Fuehrer's Face" acabou se tornando muito relevante historicamente por sua propaganda. O curta foi um sucesso de crítica e chegou até a ganhar o Oscar de Melhor Curta-Metragem Animado em 04 de março de 1943. Após o fim da guerra por muito tempo a Disney evitou a exibição pública do desenho, só voltando atrás em 18 de maio de 2004, foi relançou Der Fuehrer's Face em DVD na coleção Disney Treasures: On The Front Lines. Posteriormente o desenho chegou a vazar para o YouTube e para outros sites da Internet onde ainda pode ser conferido.

A música "Der Fuehrer's Face" (mesmo nome que o curta animado), composta por Oliver Wallace, acabou se tornando popular à época e chegou a ser referenciada em episódios de populares séries de TV americanas como M*A*S*H e Tudo em Família.

Lançamento do single Der Fuehrer's Face (1942)
Em agosto de 1943 a capa da revista de quadrinhos norte-americana Four Favorites (edição n° 11) foi estampada pela presença dos Quatro Favoritos (personagens da DC Comics) - Soldado Desconhecido, Capitão Coragem, Relâmpago e Magno, o Homem-Magnético (que contava com a companhia do jovem Davey como assistência). Nessa capa ambos estavam cantando a música "Der Fuehrer's Face", enquanto um robusto "Bônus de Guerra" esbofeteia Hirohito, Adolf Hitler e Benito Mussolini.

O curta-metragem também apareceu no filme Pearl Harbor (2001), de Michael Bay, que disputou 4 Oscars e venceu o prêmio de Mixagem de Som.


A LETRA DA MÚSICA


Abaixo segue o vídeo contendo a música "Der Fuehrer's Face" e suaa tradução (livre):



Se o Fuehrer diz que somos a raça superior
Nós dizemos "Heil! Salve!" direto na cara do Fuehrer!
Não amar o Fuehrer é uma grande desgraça
Então nós dizemos "Heil! Salve!" direto na cara do Fuehrer!

Se Herr Goebbels diz que somos donos do mundo e do espaço
Nós dizemos "Heil! Salve!" direto na cara de Herr Goebbels!
Se o Sr. Goring diz que eles nunca vão bombardear este lugar
Nós dizemos "Heil! Salve!" direto na cara do Sr. Goring!

Se o Fuehrer diz que nunca seremos escravos
Nós dizemos "Heil! Salve!" mas ainda trabalhamos como escravos!
Enquanto o Fuehrer faz a farra, mente, discursa e delira
Nós dizemos "Heil! Salve!" direto na cara do Fuehrer!

Se o Fuehrer grita: "Eu tenho que ter mais bombas"
Nós dizemos "Heil! Salve!" e para ele fazemos mais bombas!
Se uma pequena bomba mandar ele direto pro inferno
Nós dizemos "Heil! Salve!" e isso não vai se expandir!

"Nós não somos os super homens?"
"Super homens puros e arianos"
"Sim, nós somos os super homens! "
"Os super duper super homens"
"A Nazilândia não é boa? Você a deixaria se pudesse"
"Sim, a Nazilândia é boa"
"Sairíamos um a um dela se pudéssemos."
"Nós trazemos a nova ordem mundial. "
"Heil Hitler, é a nova ordem mundial!"

"Cada um de raça estrangeira
vai amar a cara do Fuhrer
Quando trouxermos ao mundo esta ordem!"

A letra faz referência ao Fuhrer Adolf Hitler, à Joseph Goebbels, Ministro da Propaganda do Reich, e a Herman Goring, líder miltar alemão. A canção ironiza a megalomania de Hitler, a ideia da supremacia ariana, o nacionalismo e manda uma mensagem sutil mas clara: o objetivo dos países aliados à época era derrubar o nazifascismo.


Bem, pessoal, essa foi mais uma análise de filmes (nesse caso foi um curta-metragem) para o Fênix no Sekai. Até a próxima!

Agradecimentos: William Halter Batista e Lyonel (revisores de texto)


0 comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...